Cerca de três mil novos agentes da PRM terminaram a instrução básica. Na ocasião, o Presidente da República e Comandante em Chefe das Forças de Defesa e Segurança, Filipe Nyusi, que orientou o 41° curso de Instrução básica, disse que novos agentes devem combater o terrorismo em Cabo Delgado e o crime organizado, com destaque para os raptos.

São homens e mulheres provenientes de todo o país que encerraram, esta quarta-feira, a sua formação básica e entraram para a corporação como guardas estagiários. E abre-se assim um novo e desafiante caminho profissional para aqueles agentes que têm a missão de proteger Moçambique e os moçambicanos, disse o Presidente da República.

Filipe Nyusi, que assistiu na Escola Prática de Matalana, a demonstração de aulas práticas, acompanhou de perto as acrobacias, superação de obstáculos, defesa pessoal, prática do tiro ao alvo e no fim passou em revista a parada.

O terrorismo em Cabo Delgado dominou o discurso de Filipe Nyusi. “Tenham em mente,  que na actualidade, um dos maiores desafios como Estado, Nação e povo é o combate, sem tréguas, ao terrorismo  e as suas variadas formas de actuação”.

Ainda sobre o combate ao terrorismo na província de Cabo Delgado, perante a parada policial Nyusi destacou a necessidade de Moçambique continuar a receber apoios externos e desvaloriza a crítica face a presença de tropas estrageiras no teatro operacional norte.

“Vamos mobilizar apoios internos e externos, vamos aceitar os apoios genuinamente oferecidos aos moçambicanos.  As Forças de Defesa e Segurança vão continuar a lutar com bravura para proteger o seu povo, os seus bens e projectos económicos. Nós não vamos perder o foco”.

Nyusi disse, ainda, que não menos importante é o combate aos raptos. “Os raptos contribuem para um clima de desespero, incerteza e insegurança, afectando negativamente o ambiente de negócios e o investimento privado em Moçambique. Este tipo de crimes culmina, muitas das vezes, com a deslocação de investidores para outros horizontes e a transferência de capitais que podiam estar a circular a bem da economia nacional”.

Em Matalane, foram, também, premiados os três melhores formandos que se destacaram no meio da colectividade.

O mosaico artístico-cultural de Moçambique foi exibido e exaltado no seio dos recém formados agentes da PRM.

Os mais de três mil agentes da PRM vão reforçar o efectivo na Unidade de Protecção de Altas Individualidades, Serviço Nacional de Migração, Serviço Nacional de Salvação Pública, Direcção Nacional de Identificação Civil, entre outros sectores do Ministério do Interior.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.