Uma mulher identificada pelo nome de Anifa Maulele regou o corpo do marido com óleo quente de cozinha, na madrugada do último sábado (04), no bairro Tsalala, no município da Matola, depois de uma briga em resultado de o esposo ter tirado satisfações sobre a constante infidelidade de que era alegadamente vítima.

O cidadão que responde pelo nome de Rúben Matsombe contraiu ferimentos graves e o seu rosto está desfigurado. Neste momento, ele encontra-se a lutar pela vida no Hospital Central de Maputo (HCM).

Não foi possível obter daquela unidade sanitária o estado clínico do paciente cujas imagens da situação a que está sujeito foram amplamente difundidas nas redes sociais.

Até ao fecho desta edição era desconhecido o paradeiro da indiciada e a Polícia na província de Maputo alegou não ter recebido nenhuma queixa sobre o crime em alusão. Contudo, soube, através das redes sociais, que um cidadão teria sido queimado pela própria esposa enquanto dormia, em Tsalala.

O casal contraiu matrimónio há pelo menos 10 anos. Todavia, de há tempos a esta parte, as traições de Anifa eram supostamente frequentes de tal sorte que deixavam os vizinhos agastados.

Em contacto com o @Verdade, algumas pessoas mais próximas do casal, incluindo o chefe do quarteirão 135, onde a ofensora e a vítima vivem, compararam o comportamento da cidadã com o de determinados animais que se acasalam à vista de todos e em plena luz do dia.

Apesar de reprovarem a atitude da senhora, elas disseram que nunca chegaram a contar ao marido por julgarem que ele próprio, um dia, tomaria conhecimento.

“Não sabíamos como ele poderia agir. Ele e a esposa até podiam achar que os vizinhos estavam a inventar, mas a dado momento ficou a saber. Como, não sabemos. O certo é há muito tempo que a mulher cometia adultério”, comentou Daniel Evaristo.

“E nós achamos que ele não se mantinha calado por não saber ou ver o que se passava porque a mulher fazia questão de não esconder, trazendo os amantes para perto de casa”, disse uma outra residente daquele bairro, identificando-se por Celeste Alfredo.

À nossa Reportagem, a empregada do casal narrou que naquele sábado Rúben e Anifa chegaram da rua em momentos separados e já dormiam em quartos separados por conta de brigas incessantes. De repente, à noite, travou-se uma discussão acesa, a qual cessou depois de uma troca de palavras ofensivas e insultuosas.

Quando tudo parecia estar resolvido, Anifa saiu do quarto onde estava a dormir com três filhos e dirigiu-se ao quarto onde o marido passava a noite com o filho mais novo.

“Ela tirou o miúdo para o outro quarto, deixando o tio sozinho, e atirou óleo quente de cozinha contra o corpo do tio. Mas antes disso ela derramou o quarto com petróleo porque pretendia incendiá-lo de modo que morresse”, disse a empregada.

Este foi o primeiro homem conhecido publicamente e a dar entrada no HCM vítima de queimadura protagonizada pela sua consorte.

Em menos de 72 horas, o segundo caso aconteceu na madrugada desta segunda-feira (06), na cidade de Xai-Xai, província de Gaza, onde um cidadão de 58 anos de idade, identificado pelo nome de Armando Dzimba, ateou fogo, intencionalmente, no quarto onde se encontrava a dormir com a esposa.

A senhora de 48 anos de idade, que responde pelo nome de Celeste Muchanga, encontra-se também a lutar pela vida no maior hospital do país. Mas infelizmente, o marido pretensamente homicida morreu a caminho da mesma unidade sanitária.

O crime ocorreu no bairro 3 de Inhamissa. Ela recebeu os primeiros socorros no Hospital Provincial de Xai-Xai (HPX). Os motivos do crime ainda são desconhecidos.

@Verdade – Nacional

Leave a Reply

Your email address will not be published.