O MINISTÉRIO da Saúde (MISAU) está a monitorar, com preocupação, a evolução da situação epidemiológica na cidade e província de Maputo, devido ao número cada vez mais elevado de casos, hospitalizações e óbitos resultantes da Covid-19.

Só nos últimos três dias, o país registou 33 óbitos, 118 hospitalizações e 2.442 infecções, a maioria das quais na região metropolitana de Maputo, facto que coloca as autoridades sanitárias em alerta máximo.

A situação está a obrigar à adopção de estratégias visando evitar o colapso do Sistema Nacional de Saúde, com enfoque para o reforço de camas e procura de novos espaços para o internamento de doentes graves.

Dados tornados públicos, ontem, pelo director nacional de Assistência Médica, Ussene Isse, mostram que mais 70 por cento dos doentes internados nas unidades sanitárias precisam de suporte ventilatório para sobreviver e 7,4 por cento são submetidos à ventilação mecânica.

“A situação da Covid-19, em particular no Grande Maputo, está a preocupar o sector da Saúde. Estamos num momento crítico que nos leva a pensar que acções urgentes devem ser adoptadas para ajudar os moçambicanos. Os casos da Covid-19 estão a aumentar exponencialmente e preocupa-nos também o número de internamentos e dos doentes críticos que estão a perder a vida nos hospitais”, lamentou Isse, realçando que a circulação do vírus aumentou.

Como forma de responder à demanda que se assiste em internamentos, o MISAU está a preparar 156 camas no Hospital Geral de Mavalane, numa altura em que o sector privado já esgotou a sua capacidade de acolhimento.

“Estamos a olhar para este aumento do número de internados e pensamos que até 7 de Fevereiro teremos mais camas disponíveis no sector público. Ainda não chegamos e nem queremos chegar à medicina da catástrofe onde teríamos que escolher a quem salvar”, acrescentou.

Usse Isse chama atenção às outras regiões do país para a necessidade do cumprimento rigoroso das medidas de prevenção da Covid-19, de modo a evitar-se o colapso do Sistema Nacional de Saúde.

Refira-se que nas últimas 24 horas foram registados oito mortes causadas pela Covid-19, todas na região metropolitana, para além de 42 hospitalizações e 895 novas infecções. No sentido inverso, 23 pacientes que se encontravam hospitalizados receberam alta, devendo prosseguir com o tratamento em isolamento.

A análise epidemiológica divulgada ontem indica que a pandemia está a registar um alastramento geográfico, afectando mais de 88 distritos do país. O alastramento está a ser acompanhado por uma aceleração acentuada, situada acima dos 25 por cento.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.