O Conselho de Administração da ExxonMobil está a debater se deve continuar ou não com vários grandes projectos de petróleo e gás, que têm perfis de emissões elevadas em Moçambique e Vietname.

Segundo um relatório do Wall Street Journal (WSJ), citado pela Energy Voice, os membros do Conselho expressaram preocupações sobre certos projectos, incluindo o de desenvolvimento de gás natural liquefeito (GNL) no valor de 30 mil milhões de dólares em Moçambique e outro projecto de gás multibilionário no Vietname.

Os projectos do Vietname e de Moçambique estão parados há muito tempo, devido aos conflitos, bem como aos custos elevados e gás azedo, o que é mais difícil de desenvolver.

A Exxon está alegadamente interessada em alienar a sua quota de 64% do projecto Blue Whale no Vietname, também conhecido como Ca Voi Xanh, devido à falta de acordo sobre os termos comerciais satisfatórios com o Governo vietnamita, após anos de negociações.

Além disso, o gigantesco campo de baleias azuis, que detém uma estimativa de 5,3 triliões de pés cúbicos (tcf) de gás, será um desafio a desenvolver, uma vez que não existe um mercado de gás perto do campo, que fica ao largo do Vietname central.

As discussões sobre os projectos em Moçambique e no Vietname estão a decorrer no âmbito de uma revisão do plano de despesas quinquenal da ExxonMobil, sobre o qual o Conselho de Administração deverá votar no final deste mês, segundo informou o WSJ.

A Exxon está a considerar o destino de futuros projectos, uma vez que o gigante norte-americano enfrenta a pressão dos investidores para restringir o investimento em combustíveis fósseis a fim de limitar as emissões de carbono e devolver mais dinheiro aos accionistas.

Ambientalistas e alguns funcionários governamentais estão, também, a pressionar a empresa a produzir menos petróleo e gás, disse o WSJ.

A ExxonMobil está, igualmente, a analisar as emissões de carbono esperadas de cada projecto e como estas afectariam a sua capacidade de cumprir as promessas de redução de emissões, afirmou o relatório. As emissões anuais projectadas dos projectos de Moçambique e Vietname foram das mais elevadas dos projectos de oleodutos e gasodutos previstos pela Exxon, de acordo com uma análise interna da Exxon, que foi revista pelo WSJ.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.