A MINISTRA dos Recursos Minerais e Energia, Letícia Klemens, e a representante da Shell, Clare Harris, assinaram, ontem em Maputo, o memorando de entendimento que visa a alocação do gás natural da bacia de Rovuma para uso doméstico.

O entendimento surge na sequência dos resultados do concurso público de adjudicação do gás doméstico, publicados a 27 de Janeiro, dos quais foram seleccionados o projecto de fertilizantes da Yara International, o projecto Afungi GTL e Energia da Shell e o Projecto de Energia Eléctrica da empresa GL Africa Energy.

No âmbito de utilização do gás para o desenvolvimento de projectos no mercado doméstico, a Shell Moçambique BV solicitou a adjudicação de 310 – 330 mmscf/d (milhões de pés cúbicos dia) para produzir 38 mil barris de combustíveis líquidos (GTL Gasóleo, Nafta e Queroseno) e 50 – 80 MW de electricidade.

Segundo um comunicado enviado ao “Notícias”, o acordo com a Shell representa um passo importante na implementação do Plano Director de Gás de Moçambique de 2014, que visa desenvolver e diversificar o processo de industrialização do país a partir do gás do Rovuma.

Na ocasião, Letícia Klemens referiu que a política e estratégia do Governo para o sector tem como objectivo assegurar que os recursos sejam usados, em primeiro lugar, para satisfazer as necessidades de desenvolvimento de Moçambique, através do uso do gás na indústria nacional.

Ela defendeu que é preciso assegurar um planeamento integrado entre os projectos de LNG do Rovuma e os de gás doméstico para maximizar sinergias.

Por sua vez, Claire Harris agradeceu o apoio contínuo do Governo para a implementação plena do projecto em Moçambique.

Harris entende que a assinatura do memorando marca um passo importante rumo ao desenvolvimento do projecto, concretamente no sector energético e na indústria de gás doméstico.

Fonte:http://www.jornalnoticias.co.mz/index.php/economia/68695-viabilizado-uso-local-do-gas-do-rovuma.html

Leave a Reply

Your email address will not be published.