Veteranos da luta de libertação nacional homenageados em Maputo

Oitenta e dois veteranos da luta armada de libertação nacional foram hoje condecorados pelo Conselho dos Serviços de Representação do Estado na Cidade de Maputo, com a “Medalha Veterano da Luta de Libertação de Moçambique”.

Na ocasião, Sheila Afonso, secretária do Conselho dos Serviços de Representação do Estado na Cidade de Maputo, considerou os condecorados um exemplo de bravura.

“As qualidades individuais dos nossos veteranos os distinguem dos homens e mulheres comuns, daí serem merecedores de toda a honra e reconhecimento”, disse a dirigente, sublinhando que a condecoração é uma “celebração da eternização” dos veteranos “como exemplos de pessoas cujos seus feitos devem ser seguidos”.

“Ao conferirmos essas insígnias, fazemos na certeza de estarmos a condimentar o processo de promoção do ambiente que estimula a autoestima, a unidade nacional, o patriotismo, a cultura de paz e o amor ao próximo, alicerces vitais da harmonia social e do progresso”, afirmou Sheila Afonso.

A governante recordou ainda os heróis de hoje, os jovens que estão na linha da frente do combate à violência armada no centro e norte do país. “Fazemos vénia aos jovens das Forças de Defesa e Segurança, que a meio a tantas adversidades têm estado a combater, arduamente, para proteger a nossa população em Cabo Delgado e na zona centro. Queremos paz no nosso país para que possamos trabalhar em prol do desenvolvimento sustentável do povo”, terminou.

Os homenageados mostraram-se honrados pelo reconhecimento e defenderam que cabe à juventude saber fazer as melhores escolhas.

“Os jovens de hoje devem seguir o nosso exemplo, estando em frente das lutas actuais. O nosso maior problema, na altura, era o colonialismo, mas hoje temos vários problemas. Cabe ao jovem pegar numa causa e lutar por ela”, defendeu Elisa Chaúque, uma das galardoadas.

Por seu turno, José Lucas disse que tal como no passado, os moçambicanos são chamados a ser unidos para o combate ao terrorismo em Cabo Delgado.
“Para acabar com este fenómeno temos que apostar na unidade e vigilância, para que possamos triunfar na luta contra estes males. Se agirmos assim, saberemos identificar e repelir o mal de longe”, disse.

Além dos galardoados, participaram da homenagem seus familiares, que devido às restrições impostas para evitar a propagação da COVID-19 estiveram do lado de fora da sala onde decorreu a cerimónia.

 

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.