Os Mambas iniciaram, hoje, os trabalhos de preparação com vista ao torneio Cosafa. A equipa técnica contou com todos os jogadores convocados para a prova regional.

Um arranque a todo gás dos Mambas, rumo ao embate com África do Sul, na próxima semana. Ambiente de descontração, com alguma “dose” de intensidade para afinar bem a estrutura e “ferver” quanto cedo o veneno.

Por isso mesmo, os 23 jogadores convocados pelo seleccionador nacional, Chiquinho Conde, estiveram presentes no campo anexo do Costa do Sol.

À última hora, uma substituição: a entrada de Dário Melo, jogador da União Desportiva de Songo, para o lugar do lesionado Kito. Chiquinho Conde já havia alertado que podia acontecer esta saída do jogador do Ferroviário de Maputo, caso a equipa médica dos Mambas, que curiosamente é a quase a mesma dos “locomotivas” da capital, confirmasse a lesão e a não recuperação atempada.

Os jogadores estão motivados e prontos para enfrentar a poderosa formação da África do Sul, que é anfitriã da prova.

Edmilson Dove, que pode ser o capitão dos Mambas nesta competição, deu a garantia de motivação no primeiro treino. “O dia de treino foi tranquilo, com todo o pessoal motivado.”

A motivação e boa-disposição são acompanhadas pelo cumprimento das orientações da equipa técnica, para que nada falhe. “Estamos a cumprir tudo aquilo que o Mister pretende para a Cosafa, assim como para a qualificação ao CHAN e acredito que todo o pessoal está motivado e com a mesma ambição e objectivo, que é chegar à África do Sul e fazer uma boa campanha, para depois esperar o jogo com a Zâmbia, no Zimpeto”, disse o jogador da União Desportiva de Songo, que representa os Mambas.

Outrossim, é o facto de ser um grupo jovem, conforme reconheceu Edmilson Dove, com “muitos jogadores novos” e, por isso, a primeira sessão serviu mais para “tentar conhecer-nos” e “trabalhar de modo com que cheguemos à Cosafa e façamos uma boa campanha”.

E o mais importante, para o jogador dos Mambas, é que “no dia 13, consigamos um bom resultado, que passa por ganhar”.

Os jogadores assumem que não será fácil passar os dois adversários conhecidos, nomeadamente África do Sul, para Cosafa, e Zâmbia, para o CHAN, mas já conhecem qual é o segredo para o sucesso, segundo contou Yude, jogador do Ferroviário de Maputo.

Para este, o segredo será “entrar na filosofia do treinador e dar o máximo”. Estes condimentos vão permitir “conseguirmos atingir os nossos objectivos, que são vencer todos os jogos que teremos pela frente”.

O combinado nacional vai realizar oito sessões de treinos em solo pátrio, antes da partida para Durban, onde a 13 de Julho defronta os Bafana Bafana para os quartos-de-final do torneio Cosafa.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.