O escritor moçambicano, Pedro Pereira Lopes, lançou, a 31 de Outubro, em Maputo, o livro infantil “O comboio que andava de chinelos”, vencedor do concurso literário “Maria Odete de Jesus” (CLMOJ), edição 2016, promovido pela Direcção das Bibliotecas da Universidade Politécnica.

O lançamento desta obra surge no âmbito do memorando de entendimento, celebrado recentemente entre a maior universidade privada do País e a Escola Portuguesa de Moçambique (EPM), que visa a edição e publicação dos livros literários infanto-juvenis, resultantes do CLMOJ.

Segundo Rosânia da Silva, pró-Reitora para a Área de Pós-Graduação, Investigação Científica, Extensão Universitária e Cooperação da Universidade Politécnica, o apoio ao lançamento da obra enquadra-se nas actividades preconizadas na relação de parceria com a EPM e tem por objectivo incutir o gosto pela leitura nas crianças, adolescentes e jovens.

“Espero que as obras lançadas e premiadas venham a ser lidas por todos. A leitura abre visões e horizontes do mundo. O apelo que deixo a todos é que esta sessão de lançamento do livro seja um convite para a sua procura”, referiu Rosânia da Silva.

Por sua vez, Pedro Pereira Lopes, autor da obra, intitulada “O comboio que andava de chinelos”, agradeceu a oportunidade que a Universidade Politécnica lhe concedeu, para expôr os seus pensamentos, através do CLMOJ e por ter parado no tempo para escrever o livro, tirando a criança que estava dentro dele para a sociedade.

“Como autor, a minha contribuição para este universo tem sido ao nível do lúdico e de incentivo à leitura e à escrita. Este prémio vai, com certeza, contribuir para incentivar a produção de muito mais livros”, garantiu Pedro Pereira Lopes.

Verónica Nhamona Sitoe, directora das Bibliotecas da Universidade Politécnica, felicitou o autor pelo lançamento do livro e aos premiados do CLMOJ, edição 2018. “O concurso é aberto ao público em geral. Desafiei aos nossos estudantes para que concorram nas próximas edições e que ficassem atentos às actividades de promoção da leitura que a biblioteca irá lançar, quem sabe, teremos um vencedor da ESDA e/ou do Instituto Médio Politécnico (IMEP) nas próxima edições, concluiu Verónica Nhamona Sitoe.

Importa referir que o CLMOJ foi lançado em 2002 e o primeiro autor vencedor foi Gilberto Namuraha, com a obra “A Revolta dos Esquilos Poéticos”, editada pelo então ISPU. Em 2006, a obra vencedora foi “O Ritual de Águeda” de Sónia Jona. Em 2007, foi vencedor Carlos Mabutana com a obra “ Amorismo, ou as Vidas Aéreas de Bernado Souto” e, em 2008, José Bione Carquete com a obra “O Monte Binga”, editada pela Apolitécnica.

A obra “Feteni, o Aldeão de Lipangu” de Mulahleki Sambu foi a vencedora da edição 2011 e, em 2016, Pedro Pereira Lopes venceu com a obra “O comboio que andava de chinelos”. Já em 2018, a obra “A menina e a baleia” do autor Noordyne Mussá foi a vencedora.

@Verdade

Leave a Reply

Your email address will not be published.