A directora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, condenou o assassinato do cameraman nigeriano, Ikechukwu Onubogo, e pediu a abertura dum inquérito para levar à Justiça os autores deste acto com vista a proteger a liberdade de imprensa.

“Condeno o assassinato de Ikechukwu Onubogo. Os responsáveis deste crime devem ser julgados para proteger a liberdade de expressão, inscrita na Declaração Universal dos Direitos Humanos e na Carta Africana dos Direitos Humanos e dos Povos”, declara Andrey Azoulay, num comunicado de imprensa transmitido à PANA, em Paris.
O corpo sem vida de Ikechukwu Onubogu foi encontrado, a 15 de Novembro último, na cidade de Obosi, situada no Estado de Anambra, enquanto os seus próximos e colegas do canal audiovisual Anambra Boradcasting Service (ABS) estavam sem notícias dele desde 12 do mesmo mês.
Nesse dia, Ikechukwu Onubogu que estava em sua casa, recebeu uma chamada telefónica e partiu rapidamente com o seu aparelho de imagem.
A diretora-geral da UNESCO lembrou a todos os governos o seu dever de proteger os jornalistas para impedir que estas matanças privem o público do seu direito de acesso à informação.
(PANA)

 

Fonte:http://www.jornalnoticias.co.mz/index.php/internacional/73960-unesco-pede-pena-exemplar-para-os-assassinos-de-um-jornalista-nigeriano.html

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *