O Tribunal da Cidade de Maputo adiou novamente na quinta-feira a entrega do seu veredicto sobre o caso do “suborno da Embraer” para 13 de Setembro, na sequência de alguns constrangimentos técnicos que dificultaram a impressão da decisão do tribunal. O juiz presidente, Fernando Macamo, convocou no seu gabinete um grupo de três jornalistas da mídia impressa, radiofônica e televisiva, para informá-los dos problemas técnicos enfrentados pelo tribunal e assegurou-lhes que o novo adiamento, depois de uma acção semelhante em 22 de Julho, havia sido acordado com os advogados dos acusados. “Peço desculpas pelo incómodo causado por um problema técnico enfrentado pela capacidade de impressão que dificultou a impressão da decisão judicial, que deveria ter sido entregue hoje”, disse.

 

Macamo acrescentou que o adiamento anterior foi devido a seus próprios problemas de saúde, mas agora ele está totalmente recuperado. Lembre-se, o caso diz respeito a um suborno de 800 mil dólares americanos pago pela empresa brasileira de fabrico de aeronaves, a fim de garantir que as Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) comprassem duas aeronaves Embraer. Os acusados de aceitar o suborno são o ex-ministro dos Transportes Paulo Zucula, o ex-presidente da LAM, José Viegas, e o ex-gerente moçambicano da petroquímica sul-africana Sasol, Mateus Zimba. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.