JÁ está em curso em todos os 26 bairros periféricos da cidade da Beira a sistematização de dados para o pagamento de subsídio aos grupos vulneráveis, no âmbito damitigação do impacto da pandemia do novo coronavírus no seio da comunidade.

Segundo o delegado do Instituto Nacional de Acção Social (INAS)na Beira, Abdul Razak, só depois disso será efectuado o pagamento dos valores aos beneficiários.

Conforme explicou, a sistematização em curso obedece ao princípio de correcção das eventuais falhas das listas previamente elaboradas pelas estruturas dos bairros e submetidas à instituição.

Trata-se de 80.749 agregados familiares dos quais 63.857 na Beira e os restantes 16.892 no Dondo que vão receber 1.500 meticais cada por via electrónica, com vista a garantir o distanciamento físico na prevenção donovocoronavírus.

O processo, segundo Razak, está fixado para seis meses em três tranches de dois meses, totalizando 9.000 por família.

A medida visa combater a desinformação nas comunidades, tal como aconteceu no recente pagamento do subsídio do Idai, no valor de 7.500 meticais, referentes à primeira tranche de três meses, sendo que a última fase do mesmo valor poderá ocorrer brevemente.

Por outro lado, apurámos que o INAS aumentou de 12 para 15 meses o pagamento de subsídio dos seus tradicionais beneficiários também para minimizar o impacto negativo da Covid-19.

 

Na globalidade, são 33.161 agregados vulneráveis integrados na Delegação do INAS, através dos diversos programas directamente ligados ao subsídio social básico, apoio social directo, atendimento nas unidades sociais e acção social produtiva.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.