A CONSTRUÇÃO da via de acesso que liga Mali à Estrada Nacional Número Um (EN1), no distrito de Marracuene, é um imperativo para dinamizar o desenvolvimento do bairro, mais conhecido por Santa Isabel em referência a uma igreja católica local, cujo acesso só pode ser feito em “peregrinação” sobretudo em dias de chuva.

Trata-se de um bairro em expansão cujos residentes, invariavelmente, têm na cidade de Maputo o seu local de trabalho. Por isso “quer faça sol, quer faça chuva” os residentes locais têm de arredar pé. Quando chega a época chuvosa, também chega o martírio, porque não há carro que se faça à estrada, devido às precárias condições em que fica o piso, intermediado por covas e poças de água profundas.

O bairro é o mais populoso de Marracuene, sendo limitado a norte pelo de Pazimane, Agostinho Neto a este, pelo Município da Matola a sul e o distrito Moamba a oeste.

 Apesar de prevalecer um desordenamento territorial, continua a ser dominado pelos novos residentes, a maioria dos quais idos da cidade de Maputo.

Em parte, fazer chegar os serviços públicos à população, é vontade dos residentes e do imperativo que elas representam para a melhoria das suas vidas, pois assiste-se à paulatina, mas considerada lenta, a alocação de infra-estruturas de saúde, educação e comércio.

É neste contexto que as escolas se deparam ainda com a falta de salas de aula, carteiras, fontes de água e energia eléctrica, situação que retarda, de certa forma, o desenvolvimento do bairro. Leia mais

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.