Sessão inaugural do Café-Debate marcada para próximo Sábado

“Mecenas: liturgia falhada ou não?”. Esta é a pergunta retórica, pretexto que conduz o Ministro da Cultura e Turismo, Silva Dunduro, ao primeiro Café-Debate deste ano. Como é habitual, o evento que irá iniciar às 14h, vai ocorrer no Mady’s Events, em Marracuene, província de Maputo, devendo alastrar-se até ao final de tarde.

De acordo com Guilherme Roda, organizador dos debates, o propósito do Café de Sábado passa por discutir sobre os mecenas e provocar os apreciadores das artes a refletirem, por sentirem que a lei do mecenato não está a funcionar. “Temos vários artistas que se queixam desta lei e, por outro lado, tantos que não a conhecem”, continuo Roda: “então, quem sabe, assim, tornamos a lei mais acessível e mais virada às pessoas”.

O Café-Debate deste ano, assume a organização, vai proporcionar muitas mudanças, quer em termos dos oradores principais, quer em termos dos temas propostos à discussão. “Ano passado os temas eram mais filosóficos. Agora, queremos tratar de questões mais práticas”, afirmou Guilherme Roda, acrescentando que a organização espera que a sessão inaugural deste ano dê azo a uma conversa franca entre todos os participantes.

Embora Silva Dunduro seja Ministro da Cultura e Turismo, a organização do Café-Debate revela que o dirigente não foi convidado como membro do Governo, apenas, mas como criador, “porque sentimos que ele compreende muito bem os dramas dos artistas, por ser um deles. Por isso mesmo, acreditamos que nesta 19ª edição do evento, fundado ano passado, podemos encontrar soluções para olhar o futuro com mais esperanças”.

As sessões de debate no Mady’s Events continuarão a ser mensal e os organizadores estão a fazer mais perecerias com entidades como editoras, escritores e artistas em geral, de modo a dinamizar o Café. Um dos desafios nesse exercício consiste em ampliar e formar o público, sobretudo de Marracuene. Com isso, a organização pretende enraizar-se mais naquele distrito e tornar o Café mais acessível e saboroso a muitos. Para o efeito, irá esmerar-se em criar uma biblioteca comunitária.

Não obstante o Café-Debate ser um espaço de artistas e intelectuais consagrados, este ano também deverá ser um lugar onde pessoas anónimas, com muito a partilhar, possam ser ouvidas. “Não queremos fazer do Café um espaço elitista. Queremos, sim, que se entenda que a partir de gestos simples, como ceder espaço para um evento destes acontecer, podemos contribuir para o desenvolvimento das artes”, disse Guilherme Roda.

Além da intervenção de Silva Dunduro, o cantor de reggae Ras Soto vai intervir com alguns temas acústicos, do primeiro, segundo e terceiro álbum, ainda a caminho.

A moderação da conversa com o Ministro da Cultura e Turismo estará na responsabilidade do jornalista Belmiro Adamugy.

 

 

 

Fonte:http://opais.sapo.mz//index.php/cultura/82-cultura/43696-silva-dunduro-reflecte-sobre-mecenas-no-primeiro-cafe-debate-deste-ano-.html

Leave a Reply

Your email address will not be published.