MAIS duzentas camas para internamento e tratamento de doentes da Covid-19 poderão ser instaladas brevemente no centro de isolamento e atendimento da Polana Caniço e no Hospital Militar de Maputo, na capital do país.

Esta plano visa responder ao aumento de internamentos devido à covid-19, num momento que se regista um crescimento exponencial de casos de infecção pelo novo coronavírus no país, em particular, na cidade e província de Maputo.

O facto foi revelado esta quarta-feira (13) pelo director Nacional de Assistência Médica, Ussene Isse, no programa “Café da Manhã” da Rádio Moçambique (RM).

Isse disse haver necessidade de mais camas, no Grande Maputo, para evitar o esgotamento da capacidade de internamento, devido ao agravamento de casos da covid-19.  Por isso, revelou, o Hospital Militar vai ser preparado para acolher doentes da Covid-19.

“O cenário a curto prazo é trabalharmos em duas frentes. Prepararmos o Hospital Militar para acolher 100 camas, e aumentarmos a do Centro da Polana Caniço”, disse Isse, aleratndo para a necessidade do respeito das medidas de prevenção.

“Se não forem observadas as medidas de prevenção, não há recursos humanos, hospitais, camas, que sejamsuficientes para salvar as pessoas”, disse.

O director Nacional de Assistência Médica revelou também que ataxa de ocupaçãono sector privado, em Maputo, também se encontra esgotada e sem disponibilidade de camas para internamentos de doentes da Covid-19.

“A ‘medicina de catástrofe’, a escolha de quem pode viver, poderá ser aplicada entre nós”, avisou Ussene Isse, insistindo que “todas as medidas de prevenção (distanciamento físico e social, uso corrente das máscaras e a lavagem das mãos) devem continuar a ser a nossa prioridade. Todos nós devemos ser fiscais de nós mesmos, para salvar a nossa vida e a dos outros”.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.