Já são nove as pessoas detidas em conexão com o saque de cerca de 11 milhões de Meticais dos cofres do Terminal de Carga do Aeroporto Internacional de Maputo, cujo destino era o Cofre da Autoridade Tributária de Moçambique.

 

Na última sexta-feira, agentes do Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) detiveram um despachante aduaneiro, apontado como peça-chave do processo por, supostamente, ter sido ele quem tratou de todo o expediente relativo à regularização dos softwares importados, assim como do pagamento dos direitos aduaneiros.

 

Fontes envolvidas no processo disseram à “Carta” que o SERNIC terá realizado, na sexta-feira, buscas na residência e escritório do despachante, porém, não avançaram o conteúdo da operação. No total, refira-se, o processo envolve 12 arguidos, dos quais nove estão detidos e três continuam em liberdade, mas com mandados de captura na “calha”.

 

Entre os integrantes da “quadrilha”, sublinhe-se, estão funcionários da Autoridade Tributária de Moçambique, membros das Alfândegas e despachantes aduaneiros. De acordo com a nota de imprensa distribuída, na última quinta-feira, pelo Ministério Público, os arguidos são acusados pela prática dos crimes de corrupção activa e passiva; peculato; e falsificação de documentos.

 

Referir que, em Outubro do ano passado (2020), as autoridades detiveram um Inspector Aduaneiro afecto ao Terminal Internacional Aéreo de Maputo, acusado de ter desviado 21.919.392,00 Meticais, através de um esquema de corrupção montado na Janela Única Electrónica (JUE). O referido indivíduo desempenhava a função de tesoureiro naquela estância aduaneira. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.