A Renamo mostrou-se, ontem, preocupada com alegada falta de cooperação por parte do Governo na implementação do acordo de paz e de reconciliação de Maputo, particularmente a integração dos seus homens nas Forças de Defesa e Segurança (FDS), pelo que exige o seu cumprimento o mais rápido possível.

O Secretário-geral da Renamo, André Magibire, acusou, ontem, no distrito de Dondo, em Sofala, o Governo de não estar a honrar na íntegra parte do acordo no âmbito do processo de Desmilitarização, Desmobilização e Reintegração (DDR).

Magibire, que falava aos membros da sua formação política, referia-se à integração dos antigos guerrilheiros da Renamo nas FDS, que são em número de 36 combatentes que depois serviriam para a segurança da perdiz e outros 362 que vão pertencer a diferentes unidades da Polícia da República de Moçambique.

As listas foram, alegadamente, submetidas no princípio deste ano e a Renamo sempre recebe, segundo o seu Secretário-geral, a resposta de que “o trabalho está em curso”.

Magibire, dirigindo-se ao grupo de contacto, que é uma espécie de mediador neste processo, apelou-lhe para desempenhar o seu papel com zelo.

Depois do encontro com os seus membros, o Secretário-geral da Renamo deslocou-se a um centro de formação de jovens, onde mais de duas dezenas de filhos de antigos combatentes da Renamo estão a beneficiar-se de formação em diversas áreas no âmbito do DDR, tendo-os incentivado a contribuir para o desenvolvimento do país.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.