A reabertura das praias, medida tomada pelo Chefe de Estado, no passado dia 04 de Setembro, e em vigor desde 15 de Setembro, continua a deixar o Governo de “cabeça quente”, devido ao suposto mau comportamento dos moçambicanos, naquele espaço de lazer.

 

Depois de o Presidente da República, Filipe Nyusi, ter avançado, no dia 07 de Setembro, a possibilidade de recuar da decisão de reabrir as praias, esta terça-feira, o porta-voz do Conselho de Ministros, Filimão Suazi, disse que o Governo irá analisar, no próximo fim-de-semana (de 25 a 27 de Setembro), o comportamento dos moçambicanos nas praias para determinar a eficácia da medida tomada pelo primeiro Magistrado da Nação.

 

“Avizinham-se dois fins-de-semanas longos [de 25 de Setembro e 04 de Outubro] que podem ser espaço de lazer e convívio entre familiares e amigos, como também podem ser oportunidade para a propagação da Covid-19. Faremos uma avaliação, neste fim-de-semana, sobre o comportamento dos nossos compatriotas e os resultados da avaliação e em especial no que diz respeito às praias, poderão ditar a tomada de medidas correspondentes”, disse Filimão Suazi.

 

Segundo o porta-voz do Conselho de Ministros, com a subida da temperatura e reabertura das praias, tem-se constatado a afluência de pessoas às praias, mas sem cumprir com as recomendações emanadas pelas autoridades sanitárias, como o uso da máscara e o distanciamento social.

 

Suazi diz ainda que se tem observado o consumo de bebidas alcoólicas, o que contraria “o real sentido de Estado de Calamidade Pública e do alerta vermelho, em que estamos”. Aliás, classifica de “preocupante” a situação que se tem verificado em todo o país, no tocante ao cumprimento das medidas de prevenção e combate à Covid-19.

 

“A máscara não dói e o seu uso é para a nossa protecção. O distanciamento social ou físico não dói, é para a nossa protecção”, defende Suazi, sublinhando que a consciência individual e colectiva devem acusar sempre que se realiza ou prepara um evento, pois, pode ser factor de propagação da doença.

 

Lembre-se, no seu discurso do “Dia da Vitória”, Filipe Nyusi avançou que, caso permaneçam os casos de desobediência para com as medidas de prevenção contra a pandemia do novo coronavírus, ia encerrar as praias, sobretudo, as que registam essas situações.

 

Neste momento, refira-se, o país conta com 7.144 casos positivos do novo coronavírus, sendo que 4.064 recuperaram da doença e 45 perderam a vida. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.