PELOmenos 6.327.319 pessoas de 31 distritos do país serão abrangidas pela pulverização intra-domiciliária,lançada recentemente em algumas províncias, com o objectivo de contribuir na prevenção da malária.

O trabalho,que se prolongará até ao final doano,está a ser realizado nas províncias de Maputo (cobrindo oito distritos), Nampula(oito), Gaza (cinco),  Zambézia(cinco)e Inhambane(cinco).  

A acção, segundo Baltazar Candrinho, director do programa nacional de controlo da malária no Ministério da Saúde, está a ser acompanhada por campanhas de distribuição de redes mosquiteiras e, espera-se fazer chegar às famílias cerca de 11 milhões destes protectores contra  malária até o final deste ano.

“A distribuição de redes mosquiteiras começou no ano passado nas províncias de Cabo Delgado e Nampula. Este ano, continuamoscom o processo. Até agora concluímos na Zambézia e Niassa,onde distribuímos 2.226.890 e 1.318.434 redes, respectivamente”, explicou Candrinho.

Depois de Niassa, iniciou segunda-feira, 16 de Novembro, a entrega de redes mosquiteiras na província de Tete e segurará depois Sofala, Manica, Gaza e Inhambane.

Baltazar Candrinho avançou que a campanha decorre porta-a-porta para evitar aglomerados. Assim, os distribuidores vão às comunidades usando máscaras de protecção facial e álcool e a entrega é feita no quintal consoante o número do agregado familiar.

“É um processo que está a ter aceitação das comunidades. Acho que é um método que veio para ficar e mostra-se eficaz porque estamos a distribuir a toda gente. O trabalho é coordenado em parceria com os líderes locais”, disse, garantindo que até ao final de ano as 11 milhões de redes mosquiteiras terão sido distribuídas.

A malária matou 475 e infectou 8.358.883 pessoas nos primeiros nove meses deste ano.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.