A Associação de Macadâmia de Moçambique (AMM) pretende dinamizar ainda mais a produção da cultura no país. Em comunicado, a Associação explica que a pretensão se deve ao facto de a produção da macadâmia em Moçambique estar numa fase relativamente nova.

 

Mesmo sem precisar números estatísticos, a AMM assegura, porém, que embora a produção esteja a iniciar, é notório o crescimento constante que o sector tem vindo a registar.

 

A AMM quer imprimir maior dinamismo na produção porque acredita que Moçambique possui grande potencial para o seu desenvolvimento e, neste momento, diz que estão a ser feitos esforços para explorar com vista a ter sucesso numa perspectiva de longo prazo.

 

“A macadâmia é uma cultura que requer investimentos avultados, pois, a noz, que se destina principalmente à exportação, deve responder a requisitos de elevada qualidade para gerar retornos e tornar o investimento viável. Sendo poucos os países envolvidos na produção e no processamento da noz, é grande a competitividade entre si para o acesso ao mercado, tipicamente um mercado de nicho”, diz a Associação em nota.

 

Nesse contexto, a AMM refere que várias empresas produtoras de macadâmia tomaram a iniciativa de criar, em meados de 2020, a Associação de Macadâmia de Moçambique (AMM), que pretende gerar e adaptar know-how (saber fazer) e contribuir para a salvaguarda dos interesses dos produtores da macadâmia de Moçambique.

 

Como forma de se tornar popular, a AMM, que também representa os seus membros no diálogo com o Governo de Moçambique e outros actores-chave em toda a cadeia de valor, juntou-se à Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), e ao International Nut and Dried Fruit Council (INC), organismo que regula a nível internacional o sector das amêndoas.

 

Ciente de que é recente, a Associação diz, em comunicado, que tem estado a passar por um processo de aprendizagem e busca de experiências de outros países. “Neste sentido, a AMM, em conjunto com o Instituto de Amêndoas de Moçambique (IAM), estão a levar a cabo iniciativas que visam promover a discussão e a transferência de know-how aos níveis técnico e político e ajudar os decisores a definir uma política e estratégia nacionais coerentes para a produção da macadâmia”, diz a AMM em nota.

 

No âmbito destas iniciativas, a nossa fonte refere que já foram realizados seminários com o Governo, em particular com o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural, do Ministério da Indústria e Comércio e do Ministério da Economia e Finanças. Para além do Governo, a AMM contou com apoio e participação de peritos internacionais, que permitiram a discussão e transmissão de conhecimentos sobre a dinâmica do negócio da macadâmia no mundo, e harmonizar a informação e compreensão dos principais desafios do sector. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.