Segundo o porta-voz do comando da polícia em Cabo Delgado, Ernesto Madungue, citado pela “Lusa”, disse ontem à comunicação social que os militares constituem “a maioria” das 28 detenções realizadas na noite de sexta-feira na cidade, no âmbito da “Operação Máscara”, que está a ser executada em todo o país para a aplicação das medidas de prevenção de covid-19.”Infelizmente, tivemos essa situação, parte dos membros das Forças de Defesa e Segurança [detidos] foram encontrados a agir fora daquilo que são as normas” de prevenção do novo coronavírus, adiantou Madungue.Sem avançar números, o porta-voz da polícia em Cabo Delgado assinalou que a maioria dos membros das Forças Armadas detidos estava armada com pistolas, tendo sido apreendidas.”Queremos apelar a todos os cidadãos e, em particular, membros das Forças de Defesa e Segurança, para que sejam um exemplo e eduquem os demais a cumprirem as normas, porque partimos do princípio de que têm o domínio e o conhecimento da lei”, acrescentou.Moçambique está em plena terceira vaga da pandemia de convid-19 e contabiliza 1.232 mortes e 107.309 casos, dos quais 76% recuperados e 487 estão internados.Devido ao aumento de casos da pandemia, o Presidente da República, Filipe Nyusi, agravou as limitações ao comércio e circulação de pessoas, baixado das 22:00 para 21:00 o início do recolher obrigatório.

Fonte: Folha de Maputo

Leave a Reply

Your email address will not be published.