UMA activista do movimento ‘Black Lives Matter’ defende que a recontagem dos votos no Estado norte-americano da Geórgia, que confirmou a vitória democrata, demonstra a força da mensagem contra a injustiça e a violência contra afro-americanos.

“Os resultados no Estado da Geórgia mostram que o voto afro-americano ajudou Joe Biden e os democratas a alcançarem o poder. Nós ajudámos a afastar (Donald) Trump. É justo que as nossas posições sejam consideradas pela próxima administração”, disse à Lusa Hazel Aswell, do movimento ‘Black Live Matter’ (BLM) em Atlanta, capital deste Estado. 

Na Geórgia, o movimento – que marcou as eleições Presidenciais a nível nacional – pede o fim da “guerra contra os afro-americanos e reparações pelos efeitos da escravatura” assim como exige mais “justiça económica” e mais protagonismo político.

A participação dos afro-americanos no Estado atingiu os 82%, contribuindo para a vitória de Joe Biden sobretudo nos condados de Atlanta, Augusta, Chatam e Liberty, mais populosos.

A recontagem manual dos votos na Georgia confirmou na quinta-feira (19) a vitória do candidato presidencial Joe Biden, mostrando o que já se sabia no passado dia 07 de Novembro quando os democratas proclamaram a vitória eleitoral a nível nacional.

Mesmo assim, o candidato republicano, o Presidente Donald Trump, que procurava um segundo mandato, apostou desde o princípio na nova contagem dos votos, numa tentativa de “provar” a existência de fraudes e irregularidades.

A lei eleitoral na Geórgia não exige a recontagem, mas permite a revisão dos votos a pedido de uma das candidaturas se a diferença for inferior a 0,5%.

A 07 de Novembro, Biden foi declarado vencedor das presidenciais de 03 de Novembro, depois de ter conquistado três importantes Estados: Pensilvânia, Michigan e Wisconsin.

Os Estados votam para as presidenciais através de um Colégio Eleitoral sendo que Biden tem neste momento 306 “grandes eleitores” contra 232 de Trump.

A situação na Georgia não encerra definitivamente as tentativas de Trump sobre a teoria da fraude nas presidenciais visto estar a tentar, num gesto sem precedentes, que os votos não venham a ser certificados a nível estadual tendo já conseguido que no Michigan os membros do Partido Republicano se tenham recusado a assinar os resultados. 

Na Geórgia, os resultados da contagem manual devem ser certificados formalmente até amanhã (21).

O próximo dia 08 de dezembro é a data limite para resolver qualquer contencioso eleitoral.

O Colégio Eleitoral reúne-se no dia 14 de Dezembro para eleger Joe Biden, que toma posse no dia 20 de Janeiro de 2021 como 46.º Presidente dos Estados Unidos.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.