Segundo a Forbes, em causa está o facto de as autorizações anuais de residência CPLP, que começaram a ser dadas em Março de 2023, não estarem a ser renovadas pela AIMA. A AIMA refere que estas autorizações “continuam a ser aceites por todas as autoridades públicas portuguesas, para todos os efeitos legais, até 30 de Junho de 2024.“Os documentos e vistos relativos à permanência em território nacional, cuja validade expire a partir da data de entrada em vigor do presente decreto-lei ou nos 15 dias imediatamente anteriores, são aceites, nos mesmos termos, até 30 de Junho de 2024”, refere o documento citado pela Forbes.

Fonte : Folha de Maputo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *