algodao cabodelgado min

Os produtores de algodão, do posto administrativo de Kwekwe, distrito de Balama, queixam-se da falta de pagamento, pela empresa fomentadora de algodão, Plexus, que recentemente anunciou a sua intenção de deixar a província de Cabo Delgado.

 

Falando num comício popular, na última sexta-feira, os produtores disseram ao governador de Cabo Delgado, Valige Tauabo, que a Plexus ainda não pagou o algodão adquirido a título de crédito, durante as últimas campanhas.  

 

Em resposta, Valige Tauabo disse que desconhecia o problema, mas garantiu que vai trabalhar no sentido de se encontrar uma solução o mais breve possível. A Plexus enfrenta uma crise financeira e, neste momento, deve cerca de 1.5 milhão de dólares norte-americanos a 48 mil produtores, cujo pagamento não foi efectuado.

 

  

O Presidente do Conselho da Administração, Nick Earlam, disse numa reunião em Londres, no fim de Junho, que a empresa tinha 165 mil agricultores com sete dependentes cada, sendo que não tinha dinheiro para pagar a todos e, pior ainda, a banca moçambicana não estava em condições em financiar numa região num cenário de violência.

 

No passado mês de  Julho, a Associação Algodoeira  de Moçambique  (AMM)  disse  que, até à data,  a posição da Plexus é de se manter em Cabo Delgado, embora no mês anterior tenha manifestado intenção de abandonar a região,  alegadamente porque a insegurança na província continua a agravar-se. Além da insegurança, a Plexus enfrenta um problema económico-financeiro.

 

Num passado recente, a Plexus, uma empresa britânica, única concessionária de algodão em Cabo Delgado, teve de ser socorrida pelo governo e, em Fevereiro de 2020, os seus cem trabalhadores entraram em greve reclamando quatro meses de salário. Nesse mesmo mês, o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia, prometeu que encontraria uma solução em duas semanas para minimizar a crise financeira da empresa. Volvidas poucas semanas, o governo entregou 2 milhões de dólares à Plexus para ela pagar aos produtores e voltar a operar.

 

Ainda em 2020, foi noticiado que a Plexus precisava de aproximadamente 10 milhões de dólares para superar uma crise financeira motivada por má-gestão. O algodão é a fonte de rendimento mais importante para milhares de camponeses nos distritos do sul de Cabo Delgado, particularmente, Montepuez, Balama, Namuno e Chiure. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.