Governo estende combate à pesca ilegal para os rios

Moçambique perde cerca de 67 milhões de dólares, devido à prática da pesca ilegal. Para desencorajar o acto, o Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas realizou, ontem, uma reunião de capacitação técnica, em parceria com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Esta acção surge depois de Moçambique aderir ao acordo sobre as medidas de controlo do estado de portos, para prevenir e eliminar a pesa ilegal, conforme explicou o director nacional de Operações, no Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas, Leonild Chimarizene.

É um acordo que foi adoptado em 2009 pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, e Moçambique ractificou em 2010, e entrou em vigor em Dezembro de 2016.

“Todos os países costeiros e portuários devem estar unidos para fazer face à pesca ilegal e a FAO está a capacitar os países no sentido de partirmos para o plano operacional”, disse.

Mais adiante Chimarizene clarificou a uma das formas em que se deve partir para o plano operacional: “Todo o navio que exercer a pesca ilegal não pode atracar em qualquer porto, ou seja, não podemos permitir à entrada de produtos capturados ilegalmente em qualquer Estado”.

Este dirigente afirmou ainda que todos os países estão aberto a cooperar com Moçambique, que “tem um cometimento muito forte com a pesca ilegal”.

Resultados da reunião técnica serão discutidos na Noruega

“Temos vindo nos últimos tempos a trabalhar de uma forma muito dura no combate à pesca ilegal e os resultados deste encontro técnico serão debatidos numa reunião internacional, em Noruega, para melhor definir as estratégias do combate à pesca ilegal”, afirmou.

Chimarizene clarificou ainda que Governo têm combatido também a pesca ilegal nos rios.


Fonte: O Pais -Economia

Leave a Reply

Your email address will not be published.