De acordo com o Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas de Moçambique, os operadores pesqueiros do país exportaram cerca de 4000 toneladas de produtos pesqueiros nos primeiros seis meses deste ano, correspondendo a 34 por cento do plano anual do sector e um crescimento de 11 por cento em comparação com o mesmo período em 2020.

 

O feito foi anunciado segunda-feira pela ministra, Augusta Maita, que se pronunciou numa reunião para avaliar o resultado da campanha de pesca ao longo dos primeiros seis meses, discutir os desafios que o sector enfrenta e identificar as melhores formas de garantir a pesca lícita sustentável. “Queremos um salto quantitativo e qualitativo nas nossas exportações, mas o sucesso depende da conquista de novos mercados e do cumprimento das exigências e certificações impostas para colocar o país na rota do comércio global”, disse Maita. Durante a primeira metade de 2021, a pesca do país atingiu uma produção global de cerca de 230.000 toneladas, totalizando 48 por cento da produção anual planejada e um crescimento de 4 por cento, em comparação com o mesmo período em 2020.

 

Ela destacou que o sector pesqueiro do país impõe, a cada ano, um período de defeso para a pesca do camarão de superfície e do caranguejo do mangue, na tentativa de garantir sua sustentabilidade e para que possam continuar a fazer parte da dieta das gerações futuras.

 

“Gostaríamos de renovar nossos apelos para que os pescadores cumpram integralmente os períodos de defeso estabelecidos”, disse ela, acrescentando que apesar dos avanços alcançados até agora, relatos sobre a constante matança de espécies protegidas em águas marinhas e interiores representam uma grande preocupação para as autoridades pesqueiras.(Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.