O INVENTÁRIO de fósseis mais recente realizado no Parque Nacional da Gorongosa (PNG) indica que o laboratório de paleontologia desta área de conservação contém mais de 730 espécimes, incluindo elefantes, porcos-do-mato, primatas, tubarões, tartarugas,crocodilos, caracóise mariscos.

A informação consta do relatório de 2020 do PNG, divulgado esta semana, que refere também que o espaço contém fósseis descobertos na regiãoe serve como um centro de ensino para o “Oxford-Gorongosa Field School”, um projecto de pesquisa que visa desvendar detalhes sobre a ancestralidade humana.

Esta é a única escola de campo no continente africano que oferece formação interdisciplinar em paleoantropologia, primatologia e ecologia.

O laboratório de paleontologia foi inaugurado em Agosto do ano passado pela Ministra da Terra e Ambiente , Ivete Maibaze.

Esta nova instalação contém uma sala de colecção de fósseis e outra para análise de fósseis, escritório, sala de aula e um espaço de armazenamento, para guardar todos os equipamentos de colecta.

O local constitui uma extensão do Laboratório de Biodiversidade Edward O. Wilson, inaugurado em 2014, e que está a apoiar a realização de inventários de biodiversidade e pesquisas ecológicas.

Com o novo laboratório, o PNG acredita que vai ser possível exibir a colecção de fósseis, bem como a criação de espaços para que investigadores trabalhem, permitindo também iniciativas como “workshops” de programas de mestrado.

Actualmente, está em implementação no parque o Projecto Paleo-Primata da Gorongosa (PPPG), liderado por Susana Carvalho, Professora Associada de Paleoantropologia na Escola de Antropologia e Museu de Etnografia de Oxford, onde coordena o Laboratório de Modelos de Primatas para Evolução Comportamental no Instituto de Antropologia Cognitiva e Evolutiva.

A Paleontologia é a especialidade da biologia que estuda a vida do passado da Terra e o seu desenvolvimento ao longo do tempo geológico, assim como a formação de fósseis.

Com pouco mais de quatro mil quilómetros quadrados, o PNG apresenta-se como o principal parque nacional de vida selvagem do país, localizado na extremidade sul do Vale do Rift do leste africano, na província de Sofala.

O local está a conhecer uma notável reposição de espécies nos últimos anos, após décadas de destruição, devido à caça furtiva e à guerra civil, que terminou em 1992.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.