O PROCESSO de negociação para reajuste do salário mínimo no país vai retomar, entre Maio e Junho, um ano após a sua suspensão devido aos impactos da  pandemia da Covid-19.

A informação foi avançada hoje (08), na província de Maputo, pelo Secretário-geral da Organização dos Trabalhadores Moçambicanos – Central Sindical (OTM-CS), Alexandre Munguambe, durante o lançamento das comemorações do 45 ° aniversário da agremiação. 

Face à eclosão da pandemia da Covid-19, o Governo e os parceiros decidiram, no ano passado, suspender o processo de negociações do aumento dos salários mínimos, visando salvaguardar os postos de empregos, numa altura em que o sector empresarial ressentia-se do impacto das restrições provocadas pelo novo coronavírus.

Alexandre Munguambe indicou que nos últimos meses várias empresas retomaram as suas actividades, facto que encoraja a retoma das negociações.

Na ocasião, a fonte indicou que este ano, a celebração dos 45 anos da organização, a ter lugar a 13 de Outubro, decorre sob o lema “OTM-CS, 45 Anos na luta pelos direitos laborais e sindicais”. 

O Secretário-Geral disse que o lema escolhido visa demonstrar o percurso histórico e a posição dos trabalhadores moçambicanos, pelo cumprimento dos direitos já consagrados na legislação nacional e nas convenções internacionais do trabalho rectificadas por Moçambique.

“Visa igualmente repudiar de forma veemente a atitude anti-sindical de algumas entidades empregadoras que, vezes sem conta, violentam os trabalhadores quando estes exercem o seu direito de se organizar em associações sindicais”, sublinhou.

Munguambe acrescentou que, numa altura em que se celebra os 45 anos da OTM-CS, pagar salários justos aos trabalhadores deve ser entendido como um investimento de curto, médio e longo prazo que se deve esperar retorno, através do aumento do poder de compra e de consumo dos cidadãos, o que hoje não se pode esperar com os actuais níveis salariais.

“Que a festa dos 45 anos da organização sirva como momento de reflexão sobre as novas estratégias que podemos adoptar para continuarmos a luta sindical pela melhoria das condições de trabalho e de vida”, aprontou.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.