Pelo menos 11 pessoas, entre as quais oito policiais, morreram na noite passada num ataque armado de ladrões de gado no noroeste do Quénia, uma área atingida há décadas pela insegurança, disse a polícia local.
Segundo avança a agência Efe, que cita uma publicação na rede social Twitter das forças de segurança, o “Corpo Nacional de Polícia lamenta denunciar a emboscada criminosa e covarde de bandidos que se dedicam ao roubo de gado contra inocentes e polícias”.
Segundo a polícia, morreu um chefe local, dois outros civis e oito policiais após os eventos ocorridos no distrito de Turkana, um dos mais pobres do país e que está a ser atingido por uma grave seca que afecta toda aquela região de África Oriental, a pior dos últimos 40 anos.
O incidente ocorreu quando os agentes estavam a realizar uma operação de busca por um grupo que tinha roubado gado numa cidade no distrito de Turkana.
Diferentes municípios do norte e noroeste do Quénia enfrentam há anos a insegurança causada pelo roubo de gado, cuja carne é vendida em grandes mercados urbanos.
Embora no passado o roubo de carne fosse comum, a uma pequena escala, em comunidades de pastores nómadas, a prática aumentou e estendeu-se a redes criminosas transnacionais que operam também em países vizinhos.
Dezenas de pessoas morreram nos últimos anos como resultado desses ataques, agravados pela circulação de armas entre a população – nos municípios nordestinos de Turkana, Samburu, Baringo, West Pokot e Elgeyo-Marakwet.
Acabar com este problema foi um dos compromissos assumidos pelo Presidente queniano, William Ruto, durante a campanha eleitoral que antecedeu as eleições gerais de 09 de agosto, nas quais se tornou o quinto Presidente do país desde a sua independência do Reino Unido em 1963. (RM /NMinuto)

Fonte:Rádio Moçambique Online

Leave a Reply

Your email address will not be published.