Odinga criticou o facto de a Comissão Eleitoral ter fixado a nova data das eleições sem consultar a oposição e colocou várias condições, entre as quais uma auditoria do sistema electrónico da comissão (IEBC). A oposição afirma que o sistema de transmissão dos resultados das recentes presidenciais foi pirateado.Pediu ainda a demissão de vários dos membros da comissão eleitoral e a possibilidade de todos os candidatos elegíveis se candidatarem, incluindo os seis outros candidatos ao escrutínio de 08 de Agosto, além de si próprio e do presidente cessante Uhuru Kenyatta. “Não haverá eleição a 17 de Outubro a não ser que os termos e condições que enumeramos neste comunicado sejam cumpridos pela IEBC”, declarou Odinga, que falava em Nairobi na presença dos principais líderes da coligação da oposição NASA.O veterano da oposição, 72 anos, reiterou a sua recusa de ver a Comissão Eleitoral conduzir o escrutínio com a sua actual composição.”Dizemos que há uma série de funcionários eleitorais que devem ser enviados para casa e outros que devem ser investigados e acusados pelos crimes odiosos cometidos nas últimas eleições”, adiantou Odinga.A 11 de Agosto, a IEBC declarou Kenyatta vencedor das presidenciais com 54,27% dos votos, contra 44,74% para Odinga, que disputava o cargo de chefe de Estado pela quarta vez, após ter sido derrotado em 1997, 2007 e 2013.A proclamação de vitória de Kenyatta foi seguida de protestos e violência que causaram pelo menos 21 mortos, a maioria devido à acção da polícia nos vários bastiões da oposição.Na sexta-feira, o Supremo Tribunal, ao qual a oposição recorreu, anulou os resultados do escrutínio de 08 de Agosto, reconhecendo a existência de “ilegalidades e irregularidades”. [FM]

http://www.folhademaputo.co.mz//pt/noticias/internacional/odinga-poe-condicoes-para-participar-nas-proximas-presidenciais/

Leave a Reply

Your email address will not be published.