Diplomacia

O Presidente da República, Filipe Nyusi, acreditou, ontem, seis novos embaixadores, que, na ocasião, manifestaram interesse em cooperar em diversos domínios, entre os quais agricultura, turismo, energia e pescas.

Trata-se dos embaixadores de Marrocos, Abdelali Rahhli; Suazilândia, Abednego Ntshangas; Namíbia, Balbina Daes Pienaar; Guatemala, Acisclo Molin; República Checa, Michal Král; e Coreia do Norte, Kim Ryop.

O embaixador do Reino de Marrocos é o primeiro do seu país a ser acreditado em Moçambique, tal como o diplomata de Guatemala. E foi a este último que o chefe de Estado sugeriu parcerias na área da agricultura.

“Desde já, convidamo-lo a divulgar, junto do sector privado da Guatemala, as oportunidades que o nosso país oferece nos vários domínios. E considerando as vossas valências na área da agricultura, agro-processamento e indústria têxtil, encorajamos iniciativas concretas de parceria nessas áreas entre os nossos países, em benefício dos nossos povos”, disse Nyusi.

Falando no final da cerimónia, o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Oldemiro Balói, destacou que Marrocos tem um grande potencial e é um dos maiores investidores em África. “Tem havido um relacionamento ao longo dos tempos que carece de um relançamento. A abertura de uma embaixada irá contribuir para esse efeito”, disse Balói.

O ministro realçou, também, as vantagens de cooperação com os demais países. “A Suazilândia, país vizinho de Moçambique, tem vindo a cooperar como uma nação ‘irmã’ numa base regional e multilateral. Por sua vez, a Namíbia é, tal como a Suazilândia, um país da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) com excelentes relações com Moçambique. A República Checa precisa ainda de identificar e consolidar as áreas de concentração, no que tange à cooperação. Trata-se de um país que apoiou Moçambique aquando da luta de libertação nacional, enquanto Checoslováquia. Assim, os dois países têm esta oportunidade para relançar a cooperação. A Correia do Norte é um país que sempre esteve do nosso lado, com o qual temos algumas áreas de cooperação: agricultura, saúde, entre outras. Esperamos continuar a cooperar”, concluiu Balói

 


Fonte: O Pais -Politica

Leave a Reply

Your email address will not be published.