A destruição de infra-estruturas e o aumento do número de deslocados, devido aos ataques armados que se alastram da província de Cabo Delgado para Niassa, poderão forçar as autoridades a alocarem tendas para a leccionação de aulas nas escolas.

No distrito de Mecula, província de Niassa, por exemplo, as autoridades dizem que serão necessárias 20 tendas para o presente ano lectivo, cujo início está marcado para 31 deste mês.

Segundo avançou o director dos Serviços Distritais de Educação, Juventude e Tecnologia, Luciano Mitimbo, existem cerca de 852 pessoas provenientes de vários povoados remotos, junto à população que, assustada, saiu de zonas atacadas nos derradeiros meses do ano passado.

Além de Mecula, fazem parte das zonas que precisam da intervenção das autoridades da educação as localidades de Naulala, Macalangem, Lichengue, Nampequesso, Mtimbo e Cuchiranga.

Ademais, Mitimbo referiu que alguns alunos serão acolhidos nas salas da Escola Primária Completa 16 de Junho, em Mecula.

Enquanto decorre a avaliação das necessidades impostas pelos ataques armados, a Secretária de Estado em Niassa está a trabalhar com vista à construção de salas convencionais para os alunos na condição de deslocados.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.