Esclarecimento. 

 

Exmo, Senhor,

 

No passado dia 13 de Janeiro, a publicação digital ‘Carta de Moçambique’, num artigo colocado online às 12h39, intitulado ‘’Não houve manipulação cambial no Standard Bank – Tribunal’’ refere, em relação ao processo que corre na 5ª sessão no Tribunal de Polícia da Cidade de Maputo e que opunha o Banco de Moçambique ao Standard Bank, que as alegações produzidas por parte do Banco Central ‘’estiveram a cargo do Advogado Francisco Avillez’’. Este facto não corresponde, de todo, à verdade. Senti-me, por isso, no dever e no direito de esclarecer que, no caso em apreço, a elaboração das referidas alegações estiveram a cargo do Dr. Gil Cambule. Pelo que solicitamos que a notícia seja corrigida. Sem mais de momento, apresento respeitosos cumprimentos.

 

Francisco Avillez (Advogado inscrito na OAM sob o n.°159)

 

NE: “Carta de Moçambique” sabe que as alegações do Banco de Moçambique foram produzidas pelo escritório ABCC, onde Francisco Avillez é “managing partner”. 

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.