CERCA de 160 hectares de terra vão beneficiar do sistema de rega, na sequência da construção do regadio de M´ziva (bloco 2), no distrito de Nicoadala, na província da Zambézia.

Para a concretização deste objectivo, o Instituto Nacional de Irrigação (INIR) acaba de anunciar o lançamento de um concurso público para a contratação de um empreiteiro que vai executar as obras.

No anúncio, o INIR observa que os concorrentes devem ser portadores do alvará para a realização de obras hidráulicas nas categorias I a V.

Em Moçambique, calcula-se que cerca de 70 por cento da população vive nas zonas rurais e pratica a agricultura como principal fonte de obtenção de renda.

A produção agrária é desenvolvida, maioritariamente, pelo sector familiar, que representa 99 por cento dos cerca de 4.3 milhões de explorações existentes no país, ocupando mais de 97por centodos cerca de 5.7 milhões de hectares actualmente cultivados.

A agricultura em Moçambique ainda é caracterizada por baixo nível de utilização de tecnologias melhoradas, sendo sementes certificadas (8.7%), pesticidas (6.3%), fertilizantes (2.8%), irrigação (4.3%), mecanização (4.2%), crédito (2.0%), fraca cobertura e assistência técnica dos serviços de extensão, fraca qualidade de infra-estruturas (vias de acesso, estradas/pontes, mercados), fraca divulgação dos preços e oportunidades de mercado, elevados níveis de perdas pós-colheita e forte dependência das condições climatéricas.

Como consequência das limitantes do sector agrário, regista-se ainda um défice em produtos alimentares básicos como o arroz, trigo, batata-reno, tomate, cebola, frango que são compensados pelas importações e donativos, afectando a balança comercial e a inflacção da moeda no país.

No caso específico da Zambézia, aprovíncia conta com um total de 11 regadios instalados nos distritos e neste momento três estão em pleno funcionamento nomeadamente: Limane (Mopeia), Mungonhane e Mutage (Namacurra) e 9 em funcionamento parcial, sendo Chiverano e Paz (Mopeia), Moriri (Morrumbala), M’ziva, Mucelo e Ilalane (Nicoadala), Itabo e Munda-Munda (Maganja da Costa).

Existem 3.750 hectares com infra-estruturas de irrigação, mas estão a ser aproveitados apenas 1.220 hectares.

Acredita-se que a construção doregadio de M’ziva possa beneficiar centenas de membros de associações agrícolas locais, muitas delas dedicadas à produção do arroz.

Para além do arroz, outros principais produtos agrícolas mais comercializados na província da Zambézia são o milho, batata-reno, feijões e hortícolas.

Estes produtos são vendidos localmente e/ou aos revendedores que, por sua vez, abastecem as cidades de Nampula e Quelimane.

Nos últimos tempos a província também produz gergelim e soja, comercializados localmente e outra parte tem como mercado as cidadesde Chimoio e Nampula.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.