MOÇAMBIQUE registou, em Agosto último, uma inflação na ordem de 0,19 por cento, tomando como referência dados recolhidos nas cidades de Maputo, Beira e Nampula, quando comparados com igual período do mês anterior.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), as divisões de alimentação e bebidas não alcoólicas, restaurantes, hotéis, cafés e similares são as que tiveram maior impacto, com uma contribuição de 0,09 e 0,06 por cento, respectivamente.

“Contudo, quanto à variação mensal, por produto, importa destacar o aumento dos preços do carapau (4,1%), do vinho (3,6%), da cerveja para consumo fora de casa (0,6%), do peixe fresco (0,4%), do limão (19,7%), de motorizadas (0,8%) e materiais diversos para manutenção e reparação da habitação (0,7%)”, indica o INE em comunicado de imprensa enviado ontem à AIM.

O INE explica que estes produtos contribuíram no total da variação mensal com 0,19 pontos percentuais positivos.

No entanto, alguns produtos com destaque para o repolho (7,7%), a galinha viva (1,1%), a farinha de mandioca (7,7%) e a alface (2,8%) contrariaram a tendência de aumento, ao contribuírem com cerca de 0,04 pontos percentuais negativos.

De Janeiro a Agosto do ano em curso, o país registou um aumento de preços na ordem de 2,48 por cento, sendo que a divisão de alimentação e bebidas não alcoólicas foi a de maior destaque na tendência geral de subida de preços, ao contribuir com cerca de 1,03 pontos percentuais positivos.

“Analisando a variação acumulada por produto, importa destacar o aumento dos preços do carvão vegetal, do tomate, do carapau, de refeições completas em restaurantes, do óleo alimentar, de capulanas e do arroz em grão”, afirma.

Estes produtos, segundo o INE, comparticiparam com cerca de 1,43 pontos percentuais positivos no total da variação acumulada.

Comparativamente a igual período do ano anterior, o país registou, no mês em análise, um aumento de preços na ordem de 5,61 por cento. As divisões de alimentação e bebidas não alcoólicas e de restaurantes, hotéis, cafés e similares foram, em termos homólogos, as que registaram maior variação de preços com cerca de 10,72 e 5,95 por cento, respectivamente.

“Analisando a variação mensal pelos três centros de recolha, que servem de referência para a variação de preços do país nota-se que, em Agosto findo, todas as cidades registaram um relativo aumento de preços, destacando-se Nampula com cerca de 0,36 por cento, seguida de Maputo com 0,15 por cento e Beira com aproximadamente de 0,02 por cento”, explica o INE.

Comparativamente a variação acumulada, a cidade de Maputo teve a maior subida do nível geral de preços com cerca de 2,74 por cento, seguida de Nampula com 2,21 por cento e Beira com 2,09 por cento.

Com relação a variação homóloga, a Beira liderou a tendência de aumento do nível geral de preços com aproximadamente 7,00 por cento seguida de Nampula com 5,62 por cento e, por último, Maputo com 5,10 por cento.

(AIM)

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.