A CIRCULAÇÃO de medicamentos falsificados ou de baixa qualidade está entre as principais causas da ineficiência no tratamento de diversas patologias, o que pode  levar à morte.

Dados da Autoridade Nacional Reguladora de Medicamentos (ANARME) indicam que pelo menos cinco por cento dos fármacos que entram em território nacional são contrafeitos ou  de baixa qualidade.

Nos últimos anos, as autoridades sanitárias têm combatido a importação, venda e consumo de medicamentos adulterados, de baixa qualidade e/ou sem registo.

Na Região do Grande Maputo, em particular, as farmácias não registadas e o mercado informal são os que mais vendem medicamentos impróprios, alguns dos quais contrabandeados ou roubados e, posteriormente, comercializados a baixo preço.

Só no último trimestre de 2021 e nos primeiros seis meses deste ano, a ANARME apreendeu diversos fármacos, na cidade e província de Maputo, com maior incidência para o mercado informal.

Leia mais…

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.