Segundo as entidades reguladoras de medicamentos naquele país, a implementação desta vacina começará com um piloto, nas cidades de Blantyre e Lilongwe, onde as avaliações de 2023 identificaram um alto número de novas infecções. A directora do Departamento de HIV, SIDA e Hepatites Virais do Ministério da Saúde de Malawi, Rose Nyirenda, citado pela imprensa local, revelou, em conferência de imprensa, que apenas seis centros de saúde em Blantyre e Lilongwe estão a administrar a vacina, e espera-se que, até Setembro, 41 unidades sanitárias, em todo o país, estejam envolvidas no processo. A directora de programas de HIV/SIDA, Chimwemwe Mablekisi, falou da importância da PrEP injectável para reduzir o índice de HIV/SIDA no país até 2030 e alertou que, embora a PrEP seja eficaz na prevenção da transmissão do HIV, não oferece protecção contra outras infecções sexualmente transmissíveis.

Fonte : Folha de Maputo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *