OS deslocados da província de Cabo Delgado, devido aos ataques terroristas, vão receber mais alimentos.

Para o efeito, foram assinadas, hoje na cidade de Maputo, notas para a concessão de 120 toneladas de arroz2

O donativo é da China e enquadra-se nas relações de amizade entre Maputo e Beijing, e é resultado do apelo de Moçambique à ajuda humanitária de emergência às famílias obrigadas a abandonarem as suas zonas de origem, por força das acções terroristas.

Verónica Macamo, ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, disse que a oferta representa uma valiosa contribuição, num momento em que se verifica um aumento considerável de deslocados.

“Acolhemos este apoio com sentido de responsabilidade e satisfação, porque junto com a assistência dos outros parceiros internacionais, vai contribuir, significativamente, para a mitigação do sofrimento das populações das regiões afectadas pelo terrorismo”, disse.

A chefe da dioplomacia moçambicana precisou que este donativo junta-se a outros apoios que país já recebeu do Governo chinês da China, no âmbito da prevenção e contenção da pandemia da Covid-19.

Para ministra, é salutar verificar que actualmente a República Popular da China disponibilize o seu “valioso contributo” aos esforços dos moçambicanos para fazer face aos principais desafios de desenvolvimento económico e social.

“Aproveitamos esta ocasião para reiterar o nosso reconhecimento à China, como um dos parceiros internacionais mais importantes do nosso país. A nossa relação com a China remonta ao período da luta armada pela nossa independência nacional e foram se consolidando ao longo da nossa existência como Estado soberano.

Fonte:Jornal Notícias

Leave a Reply

Your email address will not be published.