Foto de Júlio PaulinoO vínculo entre Mahamudo Amurane, presidente do município de Nampula, e o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) parece estar cada vez mais a enfraquecer e as relações a azedarem. Depois de se queixar de uma suposta perseguição encetada pelo seu partido com o objectivo de denegrir a sua imagem, o edil mandou passear a reunião da Comissão Política do MDM e não justificou as razões por detrás deste procedimento.

Dos 11 membros que compõem a Comissão Política daquele partido, apenas Mahamudo Amurane pautou pela ausência, facto que foi relacionado com a suas recentes declarações à imprensa. Dos presentes, estiveram Sande Carmona, Venâncio Mondlane, Luís Boavida, Maria Moreno. O encontro foi dirigido pelo respectivo presidente Daviz Simango.

Em conferência de imprensa, o presidente do MDM considerou estranha a ausência de Mahamudo Amurane – único dos membros da Comissão Política a dirigir um município – e afirmou que ele não apresentou justificação para o efeito.

Desde a chegada da delegação do MDM em Nampula, Amurane não se fez presente em nenhuma das actividades, nem na recepção de Daviz Simango, no último sábado (18).

No rol dos trabalhos da sessão do evento, constava a discussão das últimas declarações do “faltoso”. Mas nada foi avançado sobe o afastamento ou não de Amurane do MDM.

O encontro debateu igualmente os principais pontos a levar ao próximo congresso do partido, agendado para os dias 05 a 08 de Dezembro próximo, na cidade de Nampula. Foi ainda definido o número de participantes, convidados e a logística necessária.

Ainda em Nampula, o presidente do MDM manteve um encontro à porta fechada com o bispo da chamada capital do norte, mas não foram avançados os temas debatidos.

@Verdade – Democracia

Leave a Reply

Your email address will not be published.