jovensdeslocados min

A perseguição dos jovens por parte dos elementos das Forças de Defesa e Segurança moçambicanas, alegadamente porque ainda têm contactos com os seus amigos e conhecidos filiados aos grupos terroristas que operam em Cabo Delgado, são algumas das preocupações apresentadas pela camada juvenil.

 

Para eles, celebrar o 12 de Agosto, mundialmente consagrado dia da Juventude, faz pouco sentido, porque os jovens ainda são vítimas de perseguição, sobretudo quando se sabe que praticam alguma actividade de rendimento.

 

Na zona conhecida por “Quatro Caminhos”, no bairro Chuiba, jovens disseram à “Carta” que é arriscado desenvolver uma actividade que rende dinheiro, embora muitos deles se dediquem a actividade de táxi-mota, dando exemplo que um dos seus colegas foi recentemente maltratado por militares.

 

Identificado por Falume, o jovem natural de Mucojo e deslocado em Pemba, desde 2020, onde para sobreviver decidiu abraçar a actividade de táxi-mota, foi aliciado por alguns militares e, mais tarde, levado ao quartel de Maringanha, onde foi maltratado e contraiu ferimentos graves. 

 

Refira-se que a falta de bilhete de identidade ou da declaração do bairro, têm sido igualmente motivo para os jovens deslocados serem vítimas de abuso, incluindo extorsão por certos elementos das FDS. (Carta) 

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.