Carlos Agostinho do Rosário diz que a instabilidade político-militar constitui um obstáculo para o desenvolvimento de África

 

A prevalência da instabilidade político-militar em alguns países africanos constitui um obstáculo à materialização das iniciativas para o desenvolvimento do continente. A afirmação foi feita, esta segunda-feira, em Adis Abeba, Etiópia, pelo primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, citado pela RM.

Do Rosário reagia ao relatório sobre as medidas práticas para silenciar as armas em África até 2020, apresentado na vigésima nona Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da União Africana.

“Saudamos o facto de o roteiro indicar as modalidades de implementação de cada acção, a responsabilização, os prazos e as fontes de financiamento para a materialização desta nossa ambiciosa meta, que é o calar definitivo das armas no nosso continente. O alcance desta meta irá contribuir para que África efective a sua interacção económica, social e cultural. Permitam-me referir que Moçambique, após um período difícil, está a registar progressos para o alcance da paz definitiva, através do diálogo, e também regista sinais de recuperação económica, bem como de confiança com os investidores e parceiros de cooperação, como resultado da implementação de medidas combinadas de incentivo à produção, fiscais, monetárias, e também do reforço dos mecanismos de transparência na gestão da coisa pública’’, referiu o primeiro-ministro.

Fonte: O Pais -Politica

Leave a Reply

Your email address will not be published.