Ponto final a uma ligação que durava desde 2021. A extremo Ingvild Mucaro (Inga) já não vai representar o Clube de Desportos da Costa do Sol, formação com a qual foi campeã nacional em 2021, 2022 e 2023, para além de ter sido vice-campeã africana em Dezembro de 2023.

A não renovação do contrato com o Costa do Sol, segundo avançou a internacional basquetebolista moçambicana ao “Lance Moz”, está relacionada com “os recentes acontecimentos que levaram à situação de profunda insatisfação”.

Segundo Mucauro, citada pela publicação, houve “incumprimento do subsídio de Dezembro, sem aviso prévio e nem justificação dos reais motivos”, o que acabou por causar “surpresa e descontentamento”, assim como “falta de transparência e comunicação”.

Mucauro justificou ainda que “um dos impasses para que o contrato não avance foi o CDS (Clube Desportos da Costa do Sol) querer ter ganhos com os meus contratos com o Interclube, lembrando que sou profissional e nem sou atleta da formação do clube que não detém o meu passe o que tornaria um impasse na realização dos meus sonhos desportivos em jogar noutras ligas”.

A basquetebolista entende, por outro lado, que “após o tratamento recebido no clube não considero viável negociar ou regressar, pois senti-me abandonada e desrespeitada como pessoa. Independentemente do problema enfrentado, humanamente, esperava-se alguma satisfação antes de qualquer decisão drástica, especialmente em Dezembro”.

Em 2019, Mucauro foi considerada a jogadora mais valiosa da Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol, numa competição disputada no Cairo, Egipto, na qual o Ferroviário de Maputo foi vencedor. Fez, tal como a compatriota Odélia Mafanela, parte do cinco ideal do certame.

A basquetebolista moçambicana sagrou-se, em 2022, campeã angolana de basquetebol pelo Interclube, numa prova na qual foi ainda considerada a jogadora mais valiosa (MVP).

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *