Cerca de 205 milhões de indonésios vão escolher na quarta-feira o novo Presidente, os representantes executivos e legislativos a todos os níveis administrativos, segundo dados do site Notícias ao Minuto.

Com mais de 245 milhões de habitantes e a maior população muçulmana do mundo, a Indonésia segue atrás da Índia e dos Estados Unidos na lista dos países com regimes políticos considerados democráticos.

A eleição mais significativa é a do Presidente, dado que é, simultaneamente, chefe de Estado, chefe de Governo, comandante-em-chefe das Forças Armadas e responsável pelas administrações locais.

O Presidente e o vice-presidente são eleitos por sufrágio directo por um período de cinco anos e podem exercer dois mandatos consecutivos.

O actual ministro da Defesa, Prabowo Subianto, um antigo general de 72 anos, tem liderado as sondagens, mas precisará de mais de 50% dos votos para evitar uma segunda volta em Junho.

Tem como adversários Anies Baswedan, 54 anos, um académico que foi governador de Jacarta, e Ganjar Pranowo, 55, antigo governador de Java Central.

Prabowo tem sido criticado por alegados abusos de direitos humanos em Timor-Leste e na Papua, bem como pela tortura de activistas pró-democracia quando comandava as forças especiais Kopassus.

O antigo comandante das forças especiais envolvidas na invasão de Timor-Leste, em 1975, sempre negou as alegações e nunca foi alvo de um processo-crime.

Candidata-se pela terceira vez, depois de ter perdido para o actual Presidente, Joko Widodo, conhecido por Jokowi, em 2014 e 2019.

Prabowo é agora visto como o “homem” de Jokowi, 62 anos, por ter como candidato a vice-presidente Gibran Raka, o filho mais velho do Presidente.

Situada no Sudeste Asiático e na Oceânia, a Indonésia é um arquipélago com 17 mil ilhas e três fusos horários, onde vivem milhares de grupos étnicos, com culturas e dialectos diferentes.

Integra a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), tem uma economia em crescimento e é considerada uma voz importante no mundo muçulmano.

A campanha num país onde mais de metade dos 205 milhões de eleitores tem menos de 40 anos levou os candidatos a multiplicar as mensagens nas redes sociais.

Com 125 milhões de utilizadores, a Indonésia é o segundo maior mercado mundial do TikTok, atrás dos Estados Unidos, e o maior do Sudeste Asiático. (RM-Angop)

Fonte:Rádio Moçambique Online

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *