O Ministério dos Recursos Minerais e Energia, em parceria com Mozambique Woman of Energy, criou um programa de bolsas de estudo para curso de Mestrado em Engenharia de Confiabilidade. A formação visa incentivar as mulheres moçambicanas a abraçarem o ramo em causa.

Trata-se de uma iniciativa que visa garantir oportunidades para as mulheres moçambicanas que queiram continuar os seus estudos após a licenciatura, abraçando o ramo da engenharia. Os cursos em referência serão ministrados nos Estados Unidos, a partir de Agosto.

“Este mestrado é na área de Engenharia de Confiabilidade; nesta primeira fase, apurámos três mulheres, todas de nacionalidade moçambicana, que vão viajar no dia 24 do corrente mês para os Estados Unidos da América e as aulas iniciam logo em Agosto”, disse Talumba Katawala, co-fundadora da Mozambique Woman of Energy.

O Ministério dos Recursos Minerais e Energia diz que a iniciativa veio responder às necessidades do Governo de capacitar quadros para servir o país, sobretudo, mulheres.

“Esta iniciativa surge dos esforços do Governo em formar quadros para fazer face aos grandes projectos e é uma resposta para todos que perguntavam se nesta área de engenharias existia espaço para as mulheres. E, depois da capacitação, o Governo vai criar condições de incluir estas mulheres em grandes projectos”, esclareceu Marta Vieira, directora dos recursos humanos do Ministério dos Recursos Minerais e Energia.

Por sua vez, as beneficiárias das primeiras bolsas do programa, que envolve o Governo e a associação, não esconderam a sua satisfação e prometeram dar o melhor de si.

“O primeiro objectivo é devolver tudo que eu aprendi para o meu país, principalmente mudar a vida das mulheres moçambicanas e vou dar o meu melhor. Espero que isso sirva de inspiração e incentivo para outras pessoas não desistirem dos seus sonhos e objectivos”, desejou Sila Chilengue, beneficiária da bolsa.

O Governo pretende criar condições para que, assim que as bolseiras já estiverem formadas, possam participar nos grandes projectos, principalmente da indústria extractiva, em Moçambique.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.