“É uma infraestrutura que tinha sido reabilitada recentemente e apetrechada com equipamento de ponta, está completamente destruída. É crime”, declarou Armindo Tiago, falando durante uma visita para avaliar os danos da ação terrorista em Palma, citado pela Televisão de Moçambique.No total, segundo o governante moçambicano, o Ministério da Saúde precisa de dois milhões de dólares para a reconstrução de duas novas enfermarias.Embora o bloco operatório tenha sido poupado, a parte do atendimento externo, incluindo a maternidade, foram vandalizadas, estando em curso a elaboração do cronograma para a reabilitação da infraestrutura.”Tinha todo o equipamento e está tudo queimado hoje. É uma desolação total”, declarou o ministro moçambicano.O ministro avançou que o executivo moçambicano procura meios de transformar o Centro de Saúde de Palma em hospital distrital.Além de Palma, segundo Armindo Tiago, o executivo moçambicano vai reabilitar as unidades de saúde dos distritos de Macomia e Mocímboa, pontos também afetados pela violência armada em Cabo Delgado.O ataque a Palma, junto ao projeto de gás em construção, ocorreu em 24 de março, tendo provocado dezenas de mortos e feridos.O distrito acolhe o projeto de exploração de gás natural liderado pela Total, o maior investimento privado em África (na ordem dos 20 mil milhões de euros), entretanto suspenso devido à insegurança na região.

Fonte: Folha de Maputo

Leave a Reply

Your email address will not be published.