O Governo, através do Ministério dos Recursos Minerais e Energia (MIREME), e a petroquímica sul-africana Sasol anunciaram, esta segunda-feira, um investimento de 760 milhões de USD para o Projecto de Gás Natural de Temane.

 

De acordo com a nota de imprensa enviada à nossa Redacção, o investimento resulta da tomada, na última sexta-feira, da Decisão Final de Investimento para o desenvolvimento dos reservatórios adicionais de gás natural que se encontram ao redor dos campos de Inhassoro e Temane, no distrito de Inhassoro, província de Inhambane.

 

“O investimento vai permitir, por um lado, a produção de 23 milhões de Gigajoules de gás natural por ano, que serão usados para a produção de 30.000 toneladas de gás de cozinha por ano, naquela que será a primeira unidade do género de Moçambique. Por outro lado, irá permitir a geração de 450 MW de electricidade na Central Térmica de Ciclo Combinado de Temane, promovida pelo governo, que serão injectados na rede nacional para a electrificação do país e disponibilização de energia limpa e de baixo custo para o desenvolvimento regional da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC)”, diz a nota.

 

O documento refere ainda que o projecto contempla a produção de 4.000 barris de petróleo leve por dia, produto para exportação.

 

Refira-se que, a concretizar-se o projecto de produção das 30.000 toneladas de gás de cozinha (GPL) por ano, Moçambique deixará de importar cerca de 75% do volume actualmente importado, massificando, desta forma, o uso de gás de cozinha no país. A construção das infra-estruturas de produção de gás natural inicia em Julho próximo. (Marta Afonso)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.