O Governo, através do Ministério dos Recursos Minerais e Energia (MIREME), lançou, esta quinta-feira, o sexto concurso para concessão de Áreas de Pesquisa e Produção de Hidrocarbonetos. São no total 16 novas áreas colocadas à disposição de potenciais investidores, estando distribuídas por quatro regiões, nomeadamente na Bacia do Rovuma (cinco), Angoche (sete), Delta do Zambeze (duas) e no Save (duas), perfazendo mais de 92.000 km² de área.

 

De acordo com o Instituto Nacional de Petróleo (INP), o concurso terá a duração de aproximadamente 10 meses (termina em Agosto), sendo que os resultados serão apresentados em Outubro de 2022. Os vencedores terão um máximo de oito anos para efectuar as suas pesquisas e apresentar os resultados.

 

Segundo o Ministro dos Recursos Minerais e Energia, Ernesto Max Tonela, o Governo irá apurar investidores que apresentem critérios baseados na capacidade técnica, robustez financeira, experiência comprovada no desenvolvimento de projectos de petróleo e gás e que adoptem medidas de mitigação das alterações climáticas.

 

O sexto concurso é lançado num período em que ainda não foram apresentados os resultados do último concurso. Max Tonela explica que, pela sua natureza, a pesquisa e prospecção de hidrocarbonetos é um trabalho demorado, porém, “os trabalhos estão a correr conforme o programado, estando previsto o primeiro furo já para o primeiro semestre do próximo ano”, destacou.

 

Refira-se que, há três meses, o MIREME aprovou a nova Estratégia de Concessão de Áreas para Pesquisa e Produção de Hidrocarbonetos, que estabelece as bases para garantir a pesquisa contínua e sistemática de hidrocarbonetos nas bacias de Moçambique e Rovuma. A nova estratégia reduz o tempo que medeia a realização dos concursos públicos para a concessão de áreas para dois anos, contrariamente aos três anos previstos na legislação anterior. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.