A Federação Moçambicana de Futebol foi multada pela CAF em 256 mil meticais, devido ao mau estado da relva do Estádio Nacional do Zimpeto. A FMF  diz que a substituição do tapete verde somente será possível em Novembro próximo.

Implantada em 2010, aquando da construção do ENZ, a relva natural foi sofrendo desgaste com o tempo  dado o seu ciclo e, em parte, devido a má utilização.

Em bom rigor, e depois de algumas intervenções por recomendação da CAF para acolher jogos internacionais, a relva devia ter sido removida totalmente e substituída em Dezembro de 2020.

O Fundo de Promoção Desportiva (FPD) celebrou um contrato com a empresa que faz o tratamento e manutenção da relva do ENZ para substituir a relva do campo de futebol.

Mas o processo não avançou porque, entre a segunda quinzena de 2020 e primeira de 2021, as empresas sul-africanas fornecedoras do produto para a importação da relva natural  estavam encerradas por causa da quadra festiva.

Face a este condicionalismo, os gestores do Complexo Desportivo do Zimpeto calendarizaram para a segunda quinzena der Janeiro o processo de remoção e colocação do novo “tapete verde”, processo que levaria cerca de quatro meses.

Ou seja, para que a nova relva implantada atingisse o padrão de qualidade recomendável para que se possa realizar jogos de futebol de craveira  internacional naquele recinto.

Num contexto em que os Mambas tinham compromissos  internacionais, ou melhor, jogo com Cabo Verde agendado para  31 de Março não seria possível o Estádio Nacional do Zimpeto acolher este evento.

Pior: num cenário em que somente o ENZ está classificado pela para acolher jogos internacionais, foi adiada a remoção e colocação  da relva para depois de jogo de Março e Junho.

O início da fase de apuramento para o próximo Mundial estava marcado para 5 de Junho, mas terá agora apenas início em Setembro, com jogos a decorrerem também em Outubro e em Novembro.

Este adiamento, com impacto no plano dos gestores do ENZ,  foi forçado pelo aumento de casos da COVID-19 no mundo, sendo que a FIFA e CAF justificaram que alguns países participantes não tinham  condições para competir em segurança em Junho.

E, porque a substituição da relva deve ser feita no verão, etapa em que esta desenvolve facilmente comparativamente ao inverno e conjugado com o calendário dos Mambas, o Fundo de Promoção Desportiva projecta para Novembro o inicio do processo.

Os Mambas recebem, a 4 de Setembro, a Costa do Marfim em jogo da fase de qualificação para o Mundial Qatar 2022.  Moçambique esta inserido no grupo ”D”, com as selecções do Camarões, Costa do Marfim e Malawi.

 

FMF MULTADA PELA CAF

A Federação Moçambicana de Futebol (FMF) foi multada pela CAF devido ao mau estado do relvado do Estádio Nacional de Zimpeto depois do embate com Cabo Verde, em Março, que ditou o afastamento dos Mambas do CAN-2021.

Mesmo com pequenas intervenções na relva para poder acolher os jogos da fase de apuramento ao CAN, o mau estado do tapete não passou despercebido aos olhos do  organismo que rege o futebol no continente africano, segundo Feizal Sidat, presidente da FMF.

“Nós fomos notificados pela CAF e, depois, multados. Se continuarmos com o relvado em mau estado, vamos ser novamente multados e com agravante”, explicou Feizal Sidat.

Sidat assegurou que o organismo que dirige está a “trabalhar junto do Fundo de Promoção Desportiva para que, a partir de Novembro, possamos dar início ao processo de remoção da relva sintética”.

O passo que se segue, tendo em conta que os Mambas jogam já no dia 4 de Setembro no ENZ diante da Costa do Marfim nas eliminatórias para o Mundial, é “criar condições para que a relva esteja minimamente praticável”.  E, como quem dá a mão a palmatória, disparou: “Reconhecemos que o estado da relva prejudica os atletas. Mas vamos melhorar para que possa melhorar”.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.