O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, pediu o apadrinhamento de Portugal na aquisição da vacina de prevenção contra a pandemia da Covid-19, logo que for aprovada sua comercialização, refere uma nota da Presidência da República, enviada na tarde de ontem.

 

O pedido foi apresentado ao Primeiro-Ministro de Portugal, António Costa, esta terça-feira, durante uma conversa telefónica, onde partilharam assuntos de “interesse comum” dos dois países e ainda a avaliação das relações de cooperação.

 

A situação da pandemia da Covid-19 nos dois países e os ataques terroristas em Cabo Delgado, região norte, diz a nota, foram, de resto, os pontos que consumiram boa parte da conversa entre os dois chefes de Governo.

 

“Sobre a Covid-19, o Primeiro-Ministro Português encorajou o Presidente Nyusi a continuar com a gestão das medidas preventivas assinaláveis, ora em curso no país. Na ocasião, Moçambique solicitou o apadrinhamento de Portugal na aquisição da vacina de prevenção desta pandemia, logo que estiver disponível”, refere a nota de imprensa do Gabinete de Imprensa do Chefe de Estado.

 

A corrida para descoberta da vacina contra a Covid-19 continua. No entanto, esta terça-feira, a Rússia anunciou que a Sputinik V, vacina que está a ser desenvolvida pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, em Moscovo, tem uma eficácia de 95%, tal como revelaram os resultados preliminares.

 

A Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca anunciou, esta semana, ter desenvolvido uma vacina com eficácia de cerca de 90%. Aliás, semana finda, a Pfizer e a Moderna anunciaram o desenvolvimento de uma vacina com eficácia de cerca de 90%. 

 

De acordo com o relatório de análise da situação epidemiológica divulgado esta segunda-feira, pelo Ministério da Saúde (MISAU), o país possui a taxa mais baixa de letalidade por Covid-19 da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC). Concretamente, a taxa de letalidade é de 1%, a mais baixa de uma lista onde se destaca a Tanzânia com 10%. Angola, África do Sul, Zâmbia e Zimbabwe possuem uma taxa de letalidade de 3%.

 

O país conta com o cumulativo de 15.109 casos positivos do novo coronavírus, sendo que 87% estão já recuperados da doença e 126 perderam a vida. Há ainda quatro pessoas que estiveram infectadas pelo vírus e que perderam a vida, porém, por outras doenças.

 

No que respeita aos ataques armados, a par de partilhar o ponto da situação, Filipe Nyusi agradeceu a solidariedade manifestada por Portugal em todas as fases, bem como dentro do Parlamento Europeu.

 

Em torno dos ataques terroristas em Cabo Delgado, refere o documento, António Costa mostrou total disponibilidade do seu país em apoiar Moçambique no combate ao terrorismo quer no domínio da União Europeia quer a nível bilateral.

 

“Na ocasião, o Primeiro-Ministro Português colocou o seu país à disposição para apoiar Moçambique nesta batalha universal, quer no âmbito da União Europeia assim como na cooperação bilateral”, diz o documento.

 

Neste sentido, os dois governantes “acordaram para a precisão do tipo de apoio a prestar, tendo em conta os acordos bilaterais em curso”. (Carta)

Fonte: Carta de Moçambique

Leave a Reply

Your email address will not be published.