Próxima quinta-feira, arranca a sétima edição da Feira do Livro de Maputo, que, segundo a organização, será a mais internacional de todas as edições até aqui. O festival literário organizado pelo Conselho Municipal de Maputo contará com a retransmissão em directo da sua programação nas páginas dos festivais literários dos países falantes das línguas portuguesa e espanhola.

A sétima edição da Feira do Livro de Maputo vai decorrer com transmissão nas plataformas virtuais de nove páginas dos festivais literários parceiros, entre os dias 21 e 23 deste mês, envolvendo escritores, professores e intelectuais de 26 países de quatro continentes.

Segundo a Directora dos Serviços Municipais de Bibliotecas e Arquivos, Cristina Manguele, “a retransmissão das sessões da Feira do Livro de Maputo, traz consigo um modelo diferente que comporta um interesse relevante pela literatura, o reconhecimento das narrativas e poéticas de cada nação, cultivando uma intensa comunicação entre as diferentes festas do livro e da leitura, o que aumentará em muito o alcance e as visualizações da nossa feira”.

A sétima edição da Feira do Livro de Maputo conta, este ano, pela primeira vez, com a colaboração da Bienal do Livro de Pernambuco, FLIPOÇOS, Fórum das Letras de Ouro Preto, FLIARAXÁ, FLITABIRA (Brasil), Palavras de Fogo-Festival Internacional do Interior, Tabula Rasa – Festival Literário de Fátima, LEV-Festival Literatura em Viagens (Portugal) e Revista Taller Igitur (México), que levarão o evento que pretende reflectir sobre a literatura de diferentes geografias culturais e as diversas representações sociais no mundo a vários leitores e conquistar novos públicos.

De acordo com o Conselho Municipal de Maputo, o objectivo das parcerias assenta na especial valorização e divulgação da literatura nas duas expressões ibéricas, concorrendo para a sua internacionalização no quadro da literatura mundo. Desta maneira, a Feira do Livro de Maputo oferecerá uma oportunidade de estabelecer um diálogo permanente entre os festivais literários envolvidos nesta missiva cultural.

A Feira do Livro de Maputo viu a sua edição de 2020 emigrar para o formato digital devido à pandemia da COVID-19, dispondo de uma plataforma que reúne toda a sua programação cultural e artística, tornando acessível e global o seu espaço de fala e de escuta. Além do valor económico e cultural da língua portuguesa, a Feira do Livro une as palavras que sempre tem uma dimensão de transformação social e desenvolvimento humano, defende Renato Epifânio, Comissário do TABULA RASA, “Para nós, MIL: Movimento Internacional Lusófono e Revista NOVA ÁGUIA, que, entre outros eventos à escala lusófona, coordenamos o TABULA RASA: Festival Literário de Fátima, esta parceria com a Feira do Livro de Maputo é mais um passo no diálogo entre as culturas de língua portuguesa, Horizonte maior do nosso Caminho”.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.