A agro-pecuária é, em Moçambique, uma actividade tida como elemento impulsionador do desenvolvimento local. Os administradores de Doa Boane e Mapai partilharam, na 3ª edição da Mozgrow, da Fundação Soico, as suas experiências locais que estimulam o crescimento económico nesses distritos.

Moçambique é rico em diversas culturas e o seu uso racional pode contribuir para um agronegócio sustentável. Em Doa, província de Tete, por exemplo, o grande potencial é a agricultura. Para Impulsionar a produção local, a administração integrou os agricultores em associações, de forma a dar assistência e formação para a promoção das culturas, explicou Henrique Mandava, Administrador de Doa.

A administração trabalha com os extensionistas agrários distribuídos por vários pontos do distrito, de modo a trazerem produtos com qualidade para competir no mercado de comercialização com alguma categoria.

 

DESENVOLVIMENTO LOCAL NO DISTRITO DE MAPAI

Um outro distrito que tem visto resultados no agronegócio é Mapai, província de Gaza. A administração apostou na pecuária, por ser um dos grandes vectores de desenvolvimento local e, para impulsionar a produção animal, o Governo distrital optou por apostar nos recursos humanos e o resultado desta acção foi o aumento da renda familiar.

Este trabalho resumiu-se na identificação do efectivo que lida com o gado bovino e reforçar a acção por meio da formação para que tenha a capacidade de fazer o diagnóstico das principais doenças que afectam os animais.

 

DESENVOLVIMENTO LOCAL NO DISTRITO DE BOANE

O distrito de Boane, na província de Maputo, tem um elevado potencial, tanto na agricultura como na pecuária, entretanto apostou na produção de hortícolas. Para incrementar esta cultura, o posto administrativo reabilitou três sistemas de regadios e construiu mais um. Como resultado, explica Tereza Mawai, administradora de Boane, hoje o distrito tem hortícolas em todos os anos e o agronegócio tem crescido naquela região.

Fonte:O País

Leave a Reply

Your email address will not be published.